GPEA

Seminários

Regra para uma boa apresentação de seminário.

Defesa TCC Gabriel

Apresentar bem uma ideia é um desafio permanente para qualquer pesquisador, ainda mais quando se está no meio do processo de busca do conhecimento.

Uma das máximas é a regra 10-20-30 de Guy Kawasaki, que já foi colaborador e “chefe evangelizador” da Apple (uma espécie de missionário da marca). Em um post muito engraçado em seu blog “How to Change the World”, ele explica que chegou a essa regra depois de ouvir centenas de apresentações de startups. A fórmula é simples:

10 slides – Para Kawasaki, 10 é um excelente número de slides para uma apresentação. A explicação dele é que um ser humano normal não consegue compreender mais de dez conceitos diferentes em um só encontro.

20 minutos – Você deve apresentar os 10 slides em 20 minutos. Kawazaki recomenda o tempo reduzido para aproveitar os 40 minutos restantes para discussão e dúvidas.

30 pontos – Use uma fonte grande – tamanho 30 – nos slides. A experiência de Kawazaki é que a maioria prefere usar uma letra menor para poder acumular mais informações em cada tela. Na opinião dele, isso não funciona. “A maioria das apresentações que eu vejo estão com um texto de tamanho 10. O máximo de texto possível é colocado em um slide, e então o apresentador lê o que está escrito. No entanto, assim que a audiência percebe que você está lendo, ela avança na sua frente, já que consegue fazer isso mais rápido do que você fala. O resultado é que o palestrante e o espectador ficam sem sincronia”, diz.

Extraído da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.

Pergunte a si mesmo: “Qual o propósito da minha palestra?”

O público irá provavelmente se lembrar de 10% da palestra, ou talvez 3 pontos principais, então foque nos pontos que serão “levados para casa”. Tenha certeza que eles estejam claros e repetidos na explanação.

A palestra deve ser estruturada, isto é, deve ter seções claramente definidas (assim como um livro é claramente dividido em capítulos). No fim de cada seção pare e pergunte se alguém necessita de algum esclarecimento, ou se algo precisa ser explicado de alguma outra forma. Dê ao público a chance de perguntar, se eles não entenderam. Silêncio implica que o público não entendeu. Talvez se deva questionar o público para iniciar uma resposta.

Não encha a palestra com detalhes. As pessoas irão perguntar se quiserem (então tenha os detalhes talvez em outros slides). É melhor manter a palestra simples do que complicá-la demais.

Aprenda como dar boas palestras observando outras pessoas – o que elas fizeram que foi bom ou ruim.

Se você gosta de apresentar a palestra o público provavelmente vai gostar se assistir.

Preparação da apresentação

Cheque sua apresentação pela legibilidade:

  • A fonte não deve ser menor que 18pt. Use fonte sans serif, se ficar em dúvida quanto ao estilo.
  • Tome cuidado com más combinações de cores. As cores apresentadas no monitor podem ser muito diferentes na projeção.

ALTAMENTE RECOMENDADO:

Assim que você tiver um protótipo dos slides, vá para a sala do seminário, faça a projeção e verifique se pode ler bem do fundo da sala.

Não seja uma dessas pessoas que vêem seus slides pela primeira vez durante o discurso e então ficam obviamente surpresas quando ficam ilegíveis.

Não coloque muitas palavras nos slides: Você e sua audiência devem estar confortavelmente ábeis a ler cada palavra e número nos slides dentro do tempo alocado. Se eles não podem lê-los então qual a razão de escrevê-los. Em particular, tabelas com centenas de números podem ser aceitáveis em papéis, mas não em apresentações. Sumarize-as, ou converta-as em uma figura ou algo assim.

Tenha um modelo limpo, não muito sobrecarregado: Isso apenas distrai.

Apenas utilize animações se elas ajudarem a esclarecer um ponto: Tente encontrar um equilíbrio entre texto, imagens e animações. As pessoas podem ficar entediadas se virem 5 slides com figuras e 5 animações de modelos similares.

Utilize palavras-chave em vez de sentenças completas: Finja que está enviando um SMS e terá que pagar pelas palavras em excesso. Um fluxograma/imagem geralmente comunica melhor a idéia (comparado ao equivalente textual). Utilize equações somente se elas forem realmente necessárias para esclarecer um ponto.

Habilite a numeração dos slides: Assim as pessoas podem anotar o número do slide para perguntas ao final da apresentação formal.

Por outro lado se quiser irritar o público ou não tem conteúdo ou simplesmente quiser obscurecer o assunto, então:

  • Tenha muitos gráficos piscantes sem sentido.
  • Tenha muitas animações inúteis.
  • Encha os slides com equações e depois ignore-as.
  • Siga a máxima que: “Se um som é engraçado da primeira vez, então repeti-lo 50 vezes é 50 vezes mais divertido”.

CONTEÚDO

Tente lembrar que o público não trabalhou em sua área durante meses como você.

Pelo menos metade da sua apresentação deve ser plenamente compreensível a todos.

Lembre-se sempre do propósito da apresentação dos slides: eles devem em primeiro lugar auxiliar na exposição das idéias durante a apresentação e não uma referência documental da apresentação.

SOMENTE INCLUA NOS SLIDES O QUE VOCÊ PLANEJA UTILIZAR DURANTE A APRESENTAÇÃO

Se você tiver algum slide em particular que poderá ser usado para responder perguntas, então o torne um slide oculto ou coloque-o após o último slide. Tente evitar qualquer slide que você terá que pular.

Dê referências/bibliografia no final da apresentação (para iniciantes e experts) assim pessoas interessadas podem usar isso para aprender mais sobre o assunto.

Se a sua apresentação utiliza algo que não é seu ou do seu grupo, então deixe isso claro. Por exemplo, coloque uma pequena citação dos autores originais e o ano [autor, 88]. Caso contrário é uma forma de plágio.

Evidentemente isso não é necessário para algo que é bastante conhecido ou de conhecimento público (exemplo: “Máquina de Turing”), mas se houver alguma dúvida então adicione uma citação.

REALIZANDO A APRESENTAÇÃO 

Se existe um ponteiro a lazer por perto, use-o.

Se você receber uma pergunta e achar que o público não ouviu ou não entendeu ou não ficou claro, repita a questão: “A pergunta era …” ou “Eu não tenho certeza se entendi, mas acho que a pergunta foi …”, etc. Assim todos saberão o que você está tentando responder.

Lembre-se que a maioria da platéia provavelmente também deverá ministrar palestras e irão se solidarizar com a sua dificuldade; então tente relaxar.

Fonte: ASAP Research Group: http://www.asap.cs.nott.ac.uk/